Resumo – Culto de Oração 20/04/2016

RESUMO DO CULTO DE ORAÇÃO – 20/04/2016
TEXTO BASE – Fl 4.10-13

10 Ora, muito me regozijo no Senhor por terdes finalmente renovado o vosso cuidado para comigo; do qual na verdade andáveis lembrados, mas vos faltava oportunidade.
11 Não digo isto por causa de necessidade, porque já aprendi a contentar-me com as circunstâncias em que me encontre.
12 Sei passar falta, e sei também ter abundância; em toda maneira e em todas as coisas estou experimentado, tanto em ter fartura, como em passar fome; tanto em ter abundância, como em padecer necessidade.
13 Posso todas as coisas naquele que me fortalece.

O apóstolo Paulo, no final do seu ministério e se encontrando preso em Roma, escreve essa carta aos filipenses, pois se preocupava com as falsas doutrinas que se espalhavam naquela época. Ele se encontrava limitado em uma prisão (geograficamente falando), mas a Palavra de Deus através da sua vida, não.

Mesmo diante dessa situação de cárcere e privação, ele inicia o texto dizendo que muito se alegrava com os irmãos da igreja de Filipos. Ele havia sido abençoado materialmente pelos filipenses, mas a verdadeira causa da sua alegria e regozijo estava em saber que aquela igreja havia entendido o evangelho e estavam conhecendo verdadeiramente o Senhor.

A Palavra que fora pregada estava trazendo mudança de vida nos filipenses. Ele se alegrava com o serviço da igreja de Filipos que naquela oportunidade alcançou a vida do apóstolo. A oferta dada a Paulo era reflexo do amadurecimento espiritual da igreja, por isso o apóstolo estava alegra com eles.

Paulo, como homem espiritual que era, tinha o olhar fito em algum lugar em que o homem natural não pode perceber; algo produzido na eternidade.

Problemas organizacionais, de disputas também foram tratados pelo apóstolo na igreja de Filipos.

No versículo 11 fica evidente que a alegria de Paulo com os irmãos de filipenses consistia no fruto produzido pelo discipulado verdadeiro que eles tiveram. O discipulado autêntico é algo verdadeiro e profundo que traz mudança de vida daqueles que o recebem.

Toda privação e provação, como aquelas suportadas pelo apóstolo, na verdade fazem parte de um processo de aprendizado dentro da sabedoria de Deus. Segundo Romanos 8:28 todas as coisas que nos acontecem estão inseridas num propósito de Deus para nossas vidas que é nos tornamos parecidos com Jesus Cristo (moldar nosso caráter ao de Cristo). Embora não entendamos a princípio, devemos descansar na soberania de Deus. Então nossa oração deve ser: “Senhor o que tenho que aprender com isso que aconteceu ou está acontecendo?”

Contentamento é o inverso de murmuração. Devemos estar alegres Nele em qualquer situação.

As vezes não sabemos viver na abundância, porque quando estamos nessa situação corremos o risco de abandonarmos ao Senhor. Devemos buscar e está próximos de Deus também em meio a a abundância, não só nos momentos de escassez, pois nosso coração é suscetível ao engano e a idolatria. O apóstolo afirma ter aprendido a viver tanto na abundância como na escassez.

O texto mostra que devemos ser sensíveis às necessidades do nosso próximo, assim como os irmãos de Filipos foram, as do apóstolo Paulo. Precisamos pedir a Deus que ele nos conduza a essa sensibilidade que Ele mesmo teve conosco quando nos salvou.

A Palavra nos adverte para não deixarmos que a ansiedade para sairmos de uma determinada situação nos tire a alegria que está no nosso Senhor. Se Deus não muda, a nossa adoração também não deve mudar conforme as circunstâncias.

Mas como Paulo aprendeu a ter uma espiritualidade saudável como podemos ver no versículo 13 quando ele afirma que tudo pode naquele que o fortalece?

As pessoas normalmente usam esse versículo fora de contexto, como uma espécie de frase mágica, como um talismã. Esse versículo não deve ser usado para basear nossas decisões arbitrárias, previamente tomadas sem a orientação e direção de Deus.

No versículo 6 do mesmo capítulo o apóstolo demosntra que conseguia manter-se de pé porque se submetia ao senhorio de Jesus. Esse era o segredo de uma espiritualidade saudável.

6 Não andeis ansiosos por coisa alguma; antes em tudo sejam os vossos pedidos conhecidos diante de Deus pela oração e súplica com ações de graças;

Hoje existe a “Teologia do Biscoito” segundo a qual, as pessoas são postas em certas formas espirituais e já saem prontas. Todavia, a Bíblia nos ensina a “Teologia do Carpinteiro” através da qual somos moldados pelas mãos de Deus ao caráter de Cristo e isso não é um processo instantâneo, mas sim, gradual.

Devemos nos alegrar nessa vida e pelo fato do Espírito Santo está transformando nosso interior, independente das circunstâncias em que vivamos.

PREGAÇÃO: Romeu Sátiro
TEXTO: Wannah Fernanda

“Portanto dele, por Ele e para Ele são todas as coisas. A Ele seja a glória perpetuamente! Amém.” Romanos 11:36

Publicar um comentário