Ainda não há comentários

“Não esperemos pelo ventre do peixe”

A oração é uma questão vital. A crise do profeta Jonas foi, antes de tudo, uma “crise de oração”. Não é por qualquer motivo que as Escrituras nos ensinam: ” Orai sem cessar”
(1 Ts.5.17). Perseverai na oração ( Rm.12.12).  Orando em todo tempo com oração e súplica.  (Ef.6. 18).
As respostas de Jonas não foram as mais submissas, ele não estava com o coração em sintonia com Deus, esse é um dos resultados da falta de oração. Resolveu fugir, não estava disposto a caminhar dentro do plano de Deus; tomou o barco errado, preferiu a direção contrária à ordem do Senhor; deixou de ser canal de bênção para ser a causa de tribulação para os que estavam ao seu redor; permaneceu indiferente às  circunstâncias desfavoráveis,  ignorando as lutas e o sofrimento dos que estavam juntos com ele.
A ausência de oração nos torna pessoas ensurdecidas à voz mais poderosa do universo.
Porém, ao sentir que não havia outra alternativa,  Jonas clamou em sua angústia, e do ventre do peixe gritou por socorro.
” E orou Jonas ao Senhor, seu Deus, lá das entranhas do peixe;  e disse: Na minha angústia clamei ao Senhor, e ele me respondeu; do ventre do Seol gritei, e tu ouviste a minha voz” (Jn.2.1-2.). Jonas orou quando essa era a única saída,  orou quando estava encurralado, no ventre do peixe, desfalecido e sem mais opção. Não esperemos para  orar apenas quando estivermos no ventre do peixe.
A oração nos ajuda a afastar o sentimento de insubmissão,  nos posiciona em obediência,  nos coloca em sintonia com Deus.
Acredito que Jonas entendeu a importância de estar em sintonia com Deus,  quando ele percebeu que sem isso morreria. Não permitamos chegar a este ponto para compreender esta grande verdade.

Amo vocês
Clébia ✌

www.minhasmadrugadascomdeus.com.br

Publicar um comentário